sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Quando eles vierem atrás de mim (Aline's version)

Eu não sou um padrão a ser seguido.
A pílula na qual eu tô agora é uma daquelas difíceis de engolir.
Posso até ser uma criminosa. Não sou um modelo de comportamento. Não sou um líder nato. Sou um ato difícil de seguir.
Eu não sou a fama e a fortuna.
Acho que nunca fui aquela pessoa que te dizia para entregar o jogo.
Eu cheguei no ringue como um cão na corrente e eu descobri que todos são mais doentes do que parecem.
E parece ruim, mas pode ficar pior. Pois até um plano é um dom e uma maldição.
Porque uma vez que você tenha uma teoria de como a coisa funciona todos querem que seu próximo passo seja igual ao primeiro.
E eu não sou um robô, não sou um rato de laboratório.
Eu não vou dançar conforme a sua música
Um pouco preguiçosa. Longe de ser punk.
Você devia parar de falar e juntos poderíamos alcançar, otário.
Mas não há ninguém por perto pra dizer...

Alguém disse que o dinheiro muda as coisas.
Eu digo que ele aumenta os problemas.
Não se aproximem, ouvi alguém dizer que sou o escolhido.
Acho que os sonhos pesam pra caralho.
E eu sou só um aluno de um jogo sem professor.
Agitando cada lugar em  que cada sonho me trouxe.
Estou completamente em baixa  mas vim pra corrigir isso. Então não há erro, eu vou fazer acontecer de novo.
Eu sou completamente louca. Talvez fraca demais, e até relaxada.
Nem quente nem frio. Sem nenhum talento.
O mais perto do pico. Longe de ser punk.
Você devia parar de falar e juntos poderíamos alcançar, otário
Mas não há ninguém aqui pra dizer...

Ah, quando eles vierem atrás de mim eu vou estar bem longe

Mas não há ninguém aqui pra dizer...

Ao pai, ao filho e à Bianca, Feliz Aniversário
*Se quiserem ver a original:

2 comentários:

André disse...

em outras palavras: o caminho eh foda, mas foda pode ser uma coisa mto boa se a gente fizer direito!! bom te ver de novo na ativa!! bjao, nega!!

Garotinha Jê disse...

"Acho que os sonhos pesam pra caralho."

Um misto de auto-análise, desengano, resignação.
E fugir pra bem longe é sempre a melhor(?)das alternativas, é a primeira a que eu sempre recorro, pelo menos.
Enfim... meu 'estado de espírito' não me permite um comentário melhor.

Belo texto!
E felicitações 'ao pai, ao filho e a Bia'.