sábado, 12 de setembro de 2009

Seasons Of Dust


Antes eu ainda sentia o torpor. Agora só o vazio.

Um vazio bem grande, que toma todo o meu corpo.

É só isso. Só o vazio. É todo esse vazio!

Não há espaço pra mais nada.

Eu queria me manter no casulo que os dias de domingo me proporcionam...

Eu queria poder olhar no fim de tudo

Pra saber se todo o sacrifício vai valer a pena

Ou se vou continuar andando contra o vento

Sem lenço e sem documento

Num Sol de quase Dezembro

A assistir meu coração se despedaçar.

E dos filhos que adotei

Quantas dores poderei arrancar?!

Eu queria poder correr sem olhar para trás

Largar tudo, sem remorso.

A vida era mais fácil quando a minha única responsabilidade era não ter responsabilidade nenhuma. Éramos jovens!

Hoje eu agradeço à Deus por me manter respirando, mesmo quando eu já não quero mais...

O engraçado é que antes eu ficava feliz com tão pouco! Hoje é esse pouco que me falta.

De todas as aulas que poderia faltar, fui perder logo aquela em que ensinavam a ser feliz. Cheguei atrasada por perder tempo sofrendo por coisas fúteis. Quem dera hoje eu pudesse sofrer apenas por isso...

Nem o meu maior motivo de orgulho consegue preencher o vazio por muito tempo. 5 minutos depois da cura, o vazio renasce com força maior, tomando meu corpo até que eu chegue num estágio no qual eu tenho que me forçar a lembrar repetidas vezes de como se respira. Esquecer é tão fácil...

Todas as vontades não são nada. Perdi a coragem para novas injeções de adrenalina. Ainda sofro com a amargura dos efeitos colaterais prolongados...

Não perdi a fé em Deus, mas às vezes tenho a súbita impressão de que ele perdeu a fé em mim!

Mas uma das coisas mais difíceis pra mim é o fato de algumas pessoas ainda não terem percebido que eu iria até o inferno com elas!

Nem para amar, nem para morrer. As canções simplesmente resolveram fugir de mim, como num jogo de esconde-esconde.

Desisti de procurar explicações e vou apenas arrastando os dias como se não fizesse diferença. A não ser pelos dias em que posso sentir aquela reconfortante sensação de casulo. Só tenho medo de que nem esse casulo resista ao vazio.

Outras contradições sobre Deus: Às vezes acho que Ele está me superestimando. É uma hipótese bastante plausível! Mas eu realmente não consigo acreditar que ele acha que eu tenho forças o suficiente para aguentar tudo isso.

Se Deus só dá o fardo conforme nós possamos carregar, acho que ele errou o cálculo na minha vez...

As coisas continuam intaladas em minha garganta. Será que um dia isso vai mesmo passar e eu vou voltar a falar. Me sinto tecnicamente muda!

Às vezes eu não consigo acreditar quando acontece mais alguma coisa. Chega a ser surreal.

Permaneço em estado de calamidade.

Acho que ainda vai demorar muito pra amanhecer...

4 comentários:

Dark Angel disse...

É DIFICIL!
ALIÁS!TUDO NA VIDA É COMPLICADO.
MAS TENHA CERTEZA QUE PARA GRANDES PESSOAS COMO VC.
O MAL NUNCA SE TORNARÁ FORTE.
E LEMBRE-SE Q TALVEZ REALMENTE ISSO SEJA UM TESTE E OS TESTES DA VIDA NUNCA SERAM FACEIS...
FORÇA AMIGA!
VC MERECE MUITO SER FELIZ!!!

Jessy disse...

Os obstáculos aparecem para nos testar e aparecem para que os superemos!
Vc irá superá-los, tenha certeza disso.... pois vc é uma menina forte, persistente, adorável e uma Grande mulher!
Não se deixe levar pelas dificuldades que aparecem em nossas vidas... é fácil falar, eu sei, mas não custa tentar mudar e virar essa página!
Sucesso!
SAUDADES DO SEU TAMANHO!!
Mil beijos!!!!

Garotinha Jê disse...

Eu não sei se te entendi dessa vez...
Mas as similaridades entre nossos 'estados de espírito' ainda persistem.

Tenho ouvido uma música do Ludov (Reprise), e nela tem uma frase que resume bem a minha sensação de vazio:
"Muita espera dá em nada: quando chega, logo passa."

E é isso...
Ando tão sem norte ultimamente que nem sei o que te dizer.
Sei lá... você leu meu último post?
Espero que não. Seria uma coincidência irônica... e diria até mesmo sarcástica.
A vida é mesmo o quê?

André disse...

"The sun is up, the sky is blue
It's beautiful and so are you"