domingo, 31 de maio de 2009

"...Um século. Um Mês..."


MEDOS
AMORES
INDECISÕES
OBSTÁCULOS


E maio se foi, rápido demais...

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Hoje é 22: like a stone



Numa tarde fria e chuvosa
Num lugar cheio de vazio
Por uma estrada,
Eu confesso que estava perdido
Pelas páginas de um livro cheio de morte
Lendo sobre como nós vamos morrer sozinhos
E se nós formos bons nós descansaremos
No lugar em que a gente quiser

Em meu leito de morte
Eu vou orar aos deuses e aos anjos
Como um pagão
Pra qualquer um que me levar para o céu
Para um lugar de onde eu me lembro
Eu estive lá há um tempo atrás
O céu estava machucado
O vinho era sangue
E até lá você me conduziu

E eu continuei lendo até que o dia terminasse
E eu caí em arrependimento
De todas as coisas que eu fiz
Por tudo que eu abençoei
E tudo que eu fiz de errado
Nos sonhos até a minha morte
Eu vou continuar vagando

Em sua casa
Eu anseio estar
Em cada canto, pacientemente
Eu vou esperar por você lá
Como uma pedra
Eu vou esperar por você lá
Sozinho


Por que? Porque hoje é 22...
Feliz niver atrasadérrimo, Popoli!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

About A Boy II


Ele é como heroína
Me deixa fora de rumo
Fora do senso e da razão
E por mais que eu fuja
Sempre volto correndo para o mesmo lugar
Como um rio que desvia das pedras
Para seguir seu curso exato...

quarta-feira, 13 de maio de 2009

A Última Ceia


Hoje sou mistério
Amanhã me decifraria
Ou talvez não
Não estou me permitindo ser decifrada
Hoje sou sono, cansaço e preguiça
Sou um peregrino na cidade de papel
No caos da cidade de papel
No caos da minha vida
Words destroy Worlds
Você diz, o outro interpreta
Maneiras diferentes
Ações provocam reações
Words destroy Worlds
Eu destruo mundos
Hoje sou fuga
Pendências mal resolvidas
Tempo não é dinheiro
Solidão é o comando
Me diga o que fazer
Não consigo descobrir sozinha
A querência de perdurar no infinito
Com o choque de se descobrir simples mortal
O desespero de saber que não estava totalmente certa
O fato de nunca estar
Hoje sou alguém que não queria ser
Amanhã, sabe Deus o que irei me tornar
Hoje sou destruidora de mundos
Amanhã, sabe Deus quem irei trucidar
E neste último jantar
A refeição a que tenho direito antes da condenação
Me deleito em imagens sublimes
E repenso os mundos que destruí com palavras
Quais deles conseguirão se reerguer?
E de todas as curas, rejeição
E o que quer que venha depois da última ceia
Seja o fim da dor...

À amigos que viraram família: Ed e Anduh, Feliz Aniversário!

sábado, 9 de maio de 2009

Show Me



Como pedir desculpas?
Como aceitá-las?
Me mostre uma maneira de demonstrar sanidade.
Como se livrar de um peso?
Como não mais arranjá-los?
Me mostre uma maneira de demonstrar perfeição.
Como aceitar erros cometidos em busca de um acerto maior?
Como aceitar que não foi dessa vez?
Me mostre uma maneira de demonstrar individualidade.
Como descobrir mentiras?
Como esconder verdades?
Me mostre uma maneira de demonstrar a realidade.
Como saber o que se faz?
Como esquecer o que se fez?
Me mostre uma maneira de demonstrar arrependimento.
Como destruir um mundo?
Como construir a solidão?
Me mostre uma maneira de demonstrar pureza.
Como sobreviver à queda do paraíso?
Como reviver o amor?
Me mostre uma maneira de demonstrar coragem.
Como enxergar fantasmas?
Como ler seus livros?
Me mostre uma maneira de demonstrar que a morte não é o bastante.
Como aceitar quem eu sou?
Como aceitar o que não me tornei?
Me mostre uma maneira de demonstrar a vida!

Deco,
Você é uma das pessoas mais importantes da minha vida
E mesmo que eu me perca em mil mundos diferentes eu nunca vou esquecer você!
Essa é pra você!

sábado, 2 de maio de 2009

Bullets in the blue sky


Elas passam, voando sobre minha cabeça. Rasgando o ar num barulho ensurdecedor. Como bailarinas de uma única coreografia, não erram seus passos, seu caminho. Não são pássaros. Não são aviões. Não, não é o super-homem. São balas no céu azul. E acertaram direto o meu coração.