domingo, 29 de março de 2009

De uma vida




Um discípulo perguntou à seu mestre:
-Senhor, se tu visses um ser sofrendo, precisando de ajuda, e as pessoas à volta dele não tentassem sequer ajudá-lo, o que o senhor faria?

E o mestre respondeu:
-Deve-se ponderar. Não devemos apenas ajudar este ser, mas cuidar para que todos ao seu redor aprendam a cuidar dele, pra que isso não voltasse a se repetir. Aquela velha história do "não dê o peixe, ensine a pescar!"

-Mestre, e se o senhor presenciasse alguém ser injustiçado pelos próprios amigos? Qual atitude o senhor tomaria?

-Primeiro, filho, é necessário dizer que essas pessoas não estão se comportando exatamente como amigos. Depois, a questão é apenas esperar! O ódio e a vingança de nada adiantariam e só gerariam um ciclo de dor. A vida tratará de ensinar-lhes. Mesmo que às vezes eu tenha minhas dúvidas...

-Mestre, se o senhor desconfiasse que é dono de um poder muito grande? Um poder tão grande que seria capaz de abalar o mundo inteiro?

-Todos os seres humanos podem fazer algo grande o bastante para abalar o mundo. A questão é que algumas fazem coisas boas, outros fazem coisas ruins e outros simplesmente não fazem nada. Você só precisa tomar cuidado quando for escolher o que vai fazer, qual direção vai tomar. Shakespeare costumava dizer que sempre existem dois lados, e eu acho que ele tinha muita razão nisso...

O mestre olhava as estrelas. Apenas observava-as, quieto, como que aguardando.
E novamente o insaciável discípulo perguntou:
-Mestre, e se zombassem do senhor pelos sonhos e caminhos que escolheu para si?

-Continuaria andando e sonhando
- respondeu o mestre com um sorriso- “Eles” não desviariam seu caminho ou parariam de sonhar por mim. Por qual razão, deveria eu fazê-lo? Pode parecer egoísmo a princípio, mas se você olhar com mais atenção vai perceber que se trata de amor próprio!

-Mestre, e se o machucassem tanto que o senhor não pudesse esboçar uma reação?-
E ao dizer isso sua voz estava embargada de dor- O que o senhor faria?

-Filho, um dia as feridas cicatrizam. Não estou dizendo que vai ser fácil suportar a dor, não é isso, mas é que depois de um tempo você aprende a lidar com elas e elas não doem mais tanto assim! Daí você pode levantar e continuar sua caminhada. As pedras no caminho podem se tornar os muros que nos isolam, mas também os degraus de nossa subida. Tudo depende de para que você vai usá-las.

Neste momento o discípulo parou, como que para refletir, e só voltou a falar depois de alguns minutos. Minutos que pareciam ter durado uma eternidade, para ambos:

-E se o senhor simplesmente não conseguisse mais fazer planos?

-Meu jovem, mesmo que você já tenha seu caminho totalmente traçado é necessário viver um dia de cada vez. Desse jeito é mais fácil perceber em qual estrada estamos, e se realmente queremos seguir por ela. Mas não se preocupe tanto com isso, Deus dá risada de quem faz planos...-
e riu-se novamente.

-E se descobrisses que está sendo preparado para algo importante?

-E quem de nós não está sendo preparado para algo?! Você, eu, “é tudo parte do plano”! Estamos todos sendo preparados para algo. Como eu já disse, tudo vai depender se você vai querer fazer algo grande ou não. Todos são preparados, mas poucos têm a coragem para aceitar essa responsabilidade!

-E se eu não souber se estou pronto?

-Nós só somos chamados na hora certa, nem um segundo a mais, nem um segundo a menos. Você vai saber a hora certa! Todos nós sabemos...

-Mestre, e se depois de tanto lutar, o senhor perdesse?


-Nada é em vão, meu caro! Você constrói coisas inacreditáveis na vida. E se você realmente lutou, realmente deu o sangue e fez o melhor que podia, vai saber que não perdeu, apenas não alcançou a vitória. E tenha certeza de que existe muito mais nisso do que se possa descrever!

-Mestre, o senhor já se sentiu desesperançado ao ponto de não sentir gosto pela vida?!

-Já! Toda vez que alguém acredita que encontrou a resposta sem ao menos ter perguntado!-
e dizendo isso riu-se- Mas não se preocupe, você pode não sentir gosto pela vida, mas gosta menos ainda da morte, ou pelo menos da idéia que tem dela!

-Mestre, o senhor já errou feio?

-Vocês não entendem mesmo, não é?! Se eu acertasse sempre você acha que teria tanto assim para lhe ensinar?! Você também vai errar feio, filho! É a vida!

O discípulo agradeceu e saiu, deixando novamente o mestre a olhar as estrelas. E ele ficou lá, quieto, rezando baixinho, pedindo a Deus que todas aquelas palavras funcionassem pelo menos uma vez. Pelo menos com aquele pobre garoto. Ela ainda não fazia idéia do que estava por vir...


À Renato, com atraso, mas com muita justiça! Feliz Aniversário!

sábado, 21 de março de 2009

Quem sabe, amanhã?!



Tenho andado pra baixo e me pergunto porque
Essas nuvenzinhas negras
continuam andando a minha volta
Sempre comigo

Isso leva tempo
Eu preferia estar "alto"
Acho que vou sair e comprar um sorriso de arco-íris
Mas ser livre
Todos eles são livres

Assim talvez amanhã eu encontre meu caminho pra casa
Meu caminho pra casa

Eu procuro por uma vida boa
Estive completamente no chão
Estive completamente de fora
Mas nós respiramos
Respiramos

Eu quero a brisa e uma mente aberta
Eu quero nadar no oceano
Quero tomar meu tempo pra mim
Só pra mim

Assim talvez amanhã eu encontre meu caminho pra casa
Meu caminho pra casa

À Chazy Chaz, com atraso e com carinho, Feliz Aniversário!
Song by Stereophonics

domingo, 15 de março de 2009

As frases que mudaram o (meu) mundo




-"Get better!"
-"Depois de produzir um filho descansem uma horinha!"
-"Fica bem, tá!"
-"Você é doente!'
-"Eu ainda não me sinto confortável com você!'
-"Não acredito que você largou essa!"
-"Why so serious?!"
-"Break it down, Rob!"
-"Voei!"
-"Entender, eu não entendo..."
-"Ela é mentirosa!"
-"Linoca Shinoda!!!"
-"Gosto de ti independente do mundo!"
-"As cotas acabaram, foi?!"
-"Make some fucking noise, Rob Bourdon on the drums!"
-"Meu amor puro pulou o muro!"
-"Tá tudo bem com você?!"
-"Going back home after a 7-days rave!"
-"Se você só tem um real, você só vale um real!"
-"I love you but I've chosen the darkness!"
-"Sou filho do ódio e do amor, Jesus do subúrbio!"
-"Você vai deixar pra lá?!"
-"Fuja pr'um circo!"
-"Não vou pra lugar nenhum!"
-"Absolutely!"
-"How can you be in hell if you are in my heart?!"
-"Menina, você pulou uma fogueira!"
-"Minha xuxua!"
-"Senti sua falta (...) sem hipocrisia!"
-"Deus ajude!"
-"...Amigas top, e você tá entre elas!"
-"One, two three, four, stop!"
-"Seis é o número mágico!"
-"The wrong number. The wrong person!"
-"The wrong songs. The wrong person!"
-"Intimidade é um caminho sem volta!"
-"Todo mundo me abandona, passa e não fala..."
-"Mas eu escolhi não ser o demônio!"
-"É isso que acontece quando a gente escolhe não ser o demônio!"

Ladies and gentlemen: this is for Mr Hahn. Happy Birthday!

segunda-feira, 9 de março de 2009

The Hard Way: parte 2 (a original)

video




Venha comigo
Me deixe te guiar pelo mundo no qual eu estou agora.
Você pode olhar em volta e me dizer se eu estou enganado
Você pode se encontrar e falar com todos com quem eu convivo
Talvez você possa me dizer porque todos estão tão distantes
Sou eu ou talvez quando eu olho em volta, diariamente
Eu nem mesmo sei as pessoas em quem eu posso confiar nesse momento


As pessoas com as quais eu costumava contar
Agora estão se comportando de um jeito tão diferente.
Eu ainda sou a mesma pessoa. Por que ninguém escuta?


Alguém pode por favor só me explicar
O que aconteceu com o modo que nós sempre dizíamos que seríamos?
Agora mesmo eu não sei porque eu agüentei a dor que eu passei
E eu estou perdendo a esperança

Vozes ensurdecedoras que freqüentam a minha cabeça
Que dizem que eu estou seguindo pelo caminho difícil
Eu mantenho o foco
Tirando tudo da minha mente
Que clama que eu estou seguindo pelo caminho difícil

Me deixe te guiar pelo mundo no qual estou vivendo
Onde nada é esquecido
Nada é perdoado
Ninguém consegue carregar suas próprias cargas
Ninguém consegue levar a culpa pelos seus próprios erros.


O que você faz quando alguém te decepciona?
E você quer dizer algo mas não pode porque eles não estão por perto
Por dentro você chega a pensar que eles sabem o tamanho da dor
Mas eles não vão admitir que eles são culpados.


Alguém pode por favor
Só me explicar
O que aconteceu com o modo que nós sempre dissemos que seríamos?
Porque agora mesmo eu não sei porque eu agüentei a dor que eu passei
E eu estou perdendo a esperança

Vozes... Vozes... Em minha cabeça... Em minha cabeça

Alguém pode por favor
Só me explicar
O que aconteceu com o jeito que nós sempre dissemos que seríamos?
Porque agora mesmo eu não sei porque eu agüentei a dor que eu passei
E eu estou perdendo a esperança
Me dê uma razão para não perdê-la...


Vozes... Vozes... Vozes...





Shinoda and Kenna

domingo, 1 de março de 2009

Let's celebrate!



Um brinde aos meus quases 20 anos e à estrada que percorri durante esse tempo.
Um brinde à todas as abduções e às voltas triunfais.
Um brinde à sétima arte e aos seus sonhos inspiradores.
Um brinde aos presentes de Natal que não duram até o Ano Novo.
Um brinde às promessas que não cumprimos.
Um brinde aos heróis e às tragédias que os criaram.
Um brinde às frases feitas, aos clichés e às filosofias.
Um brinde aos livros que não li.
Um brinde à indecisão e à falta de opções.
Um brinde à todos os caminhos e à estrada para a revolução.
Um brinde ao criador e às suas adoráveis criaturas.
Um brinde aos sonhos despedaçados e às idéias recicladas.
Um brinde aos fracos e ao opressor.
Um brinde ao mar e a seu inebriante jogo de sedução.
Um brinde à insônia e ao cansaço.
Um brinde às despedidas e às suas lágrimas.
Um brinde aos desencontros e às suas marcas.
Um brinde às canções que amamos e pelas quais morremos.
Um brinde às escolhas que não fazemos.
Um brinde às palavras e ao som do silêncio.
Um brinde ao vento e a tudo que ele leva e traz.
Um brinde ao meu, ao seu e ao nosso.
Um brinde ao coletivo inigualável.
Um brinde aos medos e às falhas.
Um brinde ao sacrifício e à redenção.
Um brinde aos estágios obscuros da depressão.
Um brinde aos normais e às suas crenças.
Um brinde aos vilões e à seus hinos.
Um brinde à rosa de Hiroshima e às suas descendentes.
Um brinde aos negros, aos índios, aos brancos e aos ET'S (no caso, os verdes).
Um brinde ao desprezo e às suas cicatrizes.
Um brinde aos aviões e às tsunamis.
Um brinde à Saturno e à seus anéis.
Um brinde ao sorriso e aos amigos.
Um brinde aos inimigos e às suas guerras.
Um brinde a todas as vezes que nos sentimos sozinhos.
Um brinde à chuva e ao olho do furacão.
Um brinde aos nomes e às músicas.
Um brinde àquilo que não se quer e àquilo que mais se deseja.
Um brinde à África.
Um brinde às fotos e aos olhares.
Um brinde a todos os forasteiros e viajantes.
Um brinde à liberdade e à escravidão.
Um brinde à luz forte que se aproxima.
Um brinde à toda essa escuridão.
Um brinde ao fim e ao começo, e à todo o caminho entre os dois.
Um brinde a mim e a você.
Um brinde a tudo que nos atormenta!

Popoli, essa é pra você!