terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Filosofias Eternas de uma Mente Transbordando de Lembranças


Às vezes eu sinto como se tivesse vivido a minha vida inteira sôb a sombra de alguém. É como se esse alguém tivesse um brilho maravilhoso que chamasse a atenção de todos, e como eu não soubesse brilhar, me escondi para não passar vergonha.
Vejo pessoas que amo conseguindo coisas que nós sonhamos juntos em ter, e que eu só não consegui por falta de brilho, ou, verdadeiramente, por pura incompetência mesmo.
Fui parte de um jogo amoroso, onde só fui o centro por parecer com o núcleo. E foi a última vez que fui o centro... E fui o centro sem ser o núcleo...
Descobri uma forma diferente de compartilhar a dor: comigo mesma! O mundo está muito ocupado com seus próprios problemas, e eu tento não ser tão egoísta ao ponto de querer que ele fique com os meus também!
Levei uma "bicuda" da vida, e ainda estou "catando fichas"...
Percebi, no meio de um processo gravitacional, que existem coisas no mundo das quais eu não posso mais ficar longe (e eu não estou falando apenas dos "meus filhos"). Meus anticorpos não estariam estruturalmente bem preparados para suportar tal afastamento!
Descobri que o vermelho, antes reluzente, tende a ficar opaco, e a passar despercebido.
Cheguei à conclusão de que o mar é a criatura mais perigosa do mundo, e que todos nós sabemos disso, mas, mesmo assim, participamos desse covarde e desleal jogo de sedução.
Percebi que instabilidade é a única característica visível em mim, e que isso me deixa cada vez mais vulnerável.
Passei por situações suficientemente interessantes que comprovam a minha teoria de que, por mais que estejam todos aqui, eu ainda estou completamente sozinha: no primeiro almoço na Subway do ano e no primeiro cinema do ano estavam eu, eu, eu, e mais eu, e também eu, com mais eu e eu. Se não me engano eu também estava lá. Já falei que eu também estava?!
A Subway me parece agora tão melancólica...
Nã há um só dia em que eu não deixe aquele líquido escapar dos meus olhos, visível ou invisívelmente...
De jujubas a ovomaltine: Minhas drogas estão diferentes, e mais caras!
Continua me doendo um peso de morte. Como diriam os filósofos do Biquini Cavadão: "Como é difícil viver carregando um cemitério na cabeça!"
Alguns dos meus destinos estão completando primaveras. Um deles é exatamente hoje (dia 13)! Outro não completará uma primavera tão florida assim...
Ai, as primaveras! Tão sem flores! Tenho medo de como será a minha...
Engraçado, tenho a impressão de estar vegetando. E acho que o pobre Roberto Gregório está criando raízes junto comigo...
Às vezes preciso de mais do que um empurrãozinho pra funcionar. E sinto que ainda estou parada! E como diriam os filósofos do Good Charlotte: "I'm lost and I know this" (tradução para os milhares de fãs que lêem o meu blog e não entendem inglês: "Estou perdida e sei disso!")
Um passo interessante na minha vida está para ser decidido pela conveniência entre duas amigas. (Não sei se quis ser irônica, nem se essa conveniência vai ser boa ou ruim pra mim!)
Estou num momento de perseguição vampiresca, no qual olhos brilham vermelhos num cartaz de ônibus. E agora, outros olhos!
Algumas vezes é difícil quando você diz uma coisa e as pessoas não entendem, ou acham que essa coisa não é tão grande assim, sendo que ela pode ser bem maior do que se possa imaginar.
Como diriam os filósofos do Audioslave: "Be yourself is all that you can do!" (tradução para os milhares de fãs que lêem o meu blog e não tão nem aí para a língua falada na terra do "Tio Sam": "Ser você mesmo é tudo que você pode fazer!"). Mas se você não sabe bem quem você é, então essa filosofia não vai servir de muita coisa. Daí você pode usar essa filosofia aqui: "Você é o que você faz, e você pode se recriar a cada segundo da sua vida!" Mas como eu não sei o que estou fazendo, volto a estaca à zero.
Já não carrego mais a culpa do mundo nos ombros. Não que eu não me sinta culpada, mas é que mudou tanta coisa aqui dentro que estou tentando carregar uma culpa de cada vez. Uma delas, a da primavera sem flores, continua tão pesada...
Chega um momento da sua vida em que você sente que nem todos os abraços do mundo vão poder levar sua dor embora. Mas mesmo não sendo boa em matemática, eu multiplico os de todos os meus amigos, por que se você não pode curar a dor, você pode ao menos amenizá-la. E abraços de amigos, e ainda por cima multiplicados, são um anestésico que vem funcionando durante anos. A eficácia é comprovada!
E como diriam os filósofos do LINKIN PARK: "The journey is more important than the end or the start!" (tradução para os milhares de fãs que lêem o meu blog e que querem mais é que o inglês vá pra p* que o pariu: "A jornada é mais importante do que o fim ou o começo!"). O que sgnifica que eu vou ter que aguentar um pouco mais, pois disse certa vez o filósofo Aaron Eckhart em Batman_O Cavaleiro das Trevas: "A noite fica bem mais escura antes de amanhecer. E eu prometo que já vai amanhecer!"
E nessa "jornada", vou aguardando ansiosamente o "amanhecer"!

6 comentários:

Guel disse...

Foda, o texto!!!

Muito intenso, muito intimista e, infelizmente, muito pessimista!!

"Ser você mesmo é tudo que você pode fazer!"

Adorei a frase!

=D

Shagaly disse...

Aline, eu sinceramente não posso dizer que gostei do texto. Não tem nada a ver com coesão e coerênccia e todas essas baboseiras... Está muito bem escrito, e nele vc está muito bem descrita. Eu te vejo, e é disso que não gosto. Não gosto do jeito que eu te vejo, e, de certa forma, me sinto culpada por vc estar assim. Talvez uma espécie de traição, mas não me peça para explicar... Eu realmente preciso conversar com vc. Não quero enxergar em vc aquilo que fui um dia e que luto para não ser mais. Eu quero a Aline de "VIVO", e eu vou fazer o máximo para tê-la! Sei que será difícil, mas vc vai me ajudar, eu sinto...

Espera. Está vindo o amanhecer...

André disse...

quando eu ficar menos atônito com esse texto e me refazer do deslumbramento com o seu talento com as palavras, eu faço um comentario!!!

Aline disse...

Aline, eu amei esse texto, pois me identifiquei com ele.
Com toda certeza, eu senti meus pensamentos se confundindo com os seus.
Espero que esse amanhecer chegue para todos os que se sentem assim.

Ale disse...

muito bom!!!!
nossa qnts filósofos hein?!
mas o melhor deles eh vc!sabia???
escreva sua filosofia e viva dela!
mas antes,seja mais otimista ok!
as coisas mudam qnd a gente muda...
por dentro...

larissa disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.