quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Delírios de Febre

Adoro brincadeiras.

Adoro que pensem que estou no limiar da razão.

Sou casada com o lápis e amante do delírio.

Comandada por forças inimagináveis. Detida por algo conhecido como amor.

E no despertar do pensamento procuro a alegria de voltar a dormir.

A febre já me atingiu. Tremo pela escassez de calor.

Enquanto o mundo dorme sou um turbilhão de idéias mal resolvidas.

Procuro a canção...

Dores por onde se fala. Travesseiro, um refúgio.

Nobody's listening, nobody's listening, nobody's listening...


Estou com sono. Quer dizer, não estou, fui abandonada por ele. Quero dormir.

Lençol com cheiro de farinha láctea. Estou segura agora...

5 comentários:

Guel disse...

Lençol com cheiro de farinha láctea foi boa... rsrsrsrs

Bom, o texto!

=P

Dona do Caos disse...

agora sei que meu estado normal é o de febre.
risos

Shagaly disse...

Lençol com cheiro de farinha láctea??? Deus, isso me deixaria com uma crise de rinite!!!

Ler seus textos me dá liberdade, sabia? Depois te explico, se nos vermos e eu lembrar desta frasezinha.

Bjs!

Jessy disse...

Enquanto o mundo dorme (EU) sou um turbilhão de idéias mal resolvidas, com certeza!!

O Travesseiro sem dúvida é um refúgio, tanto para o sono como para as mágoas e segredos!

dores, febre... me senti exatamente do jeito q descreveu e realmente ngm estava me ouvindo gritar de dor...

beeeijoo

Dona do Caos disse...

atualiza ai criança... atualizei lá
beijos