sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Minutes To Midnight

É noite. Quase meia-noite. Chega a ser irônico, minutes to midnight!
Um manto de loucura me envolveu há mais de uma semana. Os motivos, os mais inintendíveis possível. E pra complicar, descobri nas palavras de um amigo, que já não sou mais quem eu era, e que a pessoa na qual eu me transformei está bem longe daquela que eu gostaria de ser.
É engraçado como uma cena, mesmo sendo vista e revista 'trocentas' vezes, pode causar um impacto dilacerante em você. E é interessante como um adorno que você ostentava com orgulho como elo de ligação entre você e alguém a quem você supostamente dedica a maior parte da sua atenção, agora te aperta e te incomoda.
É intrigante como o alvo da atenção pode mudar tão repentinamente e com tanta força, e se transportar para alguém a quem você só se deu conta de que existia porque outra pessoa reparou nele primeiro.
Voltando à questão de que eu já não sou mais quem eu era, lembrei-me de um depoimento do orkut, o primeiro que recebi, do meu amigo-tio-pai Ed (que por brincadeira do destino tem o mesmo nome do meu pai, mas é tão diferente dele), em que ele dizia que um coração igual ao meu era difícil de encontrar. Agora é que não dá pra encontrar mesmo! Mudei tanto que mal consigo lembrar como eu era.
Era bonito quando as pessoas falavam de mim como se os meus atos pudessem realmente mudar alguma coisa no mundo. Era o que me dava forças pra continuar, pra ser quem eu era. Às vezes, acho que não era uma fonte renovável!
25 minutes to midnight.
Somente uma coisa tem me acalmado em casa estes dias, e se não fosse essa coisa eu estaria num estado mais deplorável ainda:pronta pra compor uma música emo.
Ultimamente a noite tem me instigado. Só tenho vontade de fazer seja lá o que for a noite. Não é à toa: 22 minutes to midnight.
Uma amiga e futura-quase-corretora dos meus textos, me disse pra não fazer textos muito pessoais. Acho que não vou mostrar esse texto pra ela...
Essa semana eu quase ia ter uma aventura solitária num encontro da revelação de um segredo parte II. E seria uma aventura solitário-desesperada. Mas não aconteceu! Sou covarde demais para injetar em mim mesma uma dose de adrenalina sequer. Nem mesmo que essa adrenalina seja parte de uma cura. Às vezes acho que não quero me curar...
15 minutes to midnight.
Tenho tido pensamentos horríveis ultimamente e tentei afugentá-los da minha cabeça. Mas sou Aline Shinoda, não seria eu se tivesse conseguido!
O medo dos pensamentos é grande porque o último ruim que eu tive não durou nem cinco segundos e mesmo assim aconteceu. Às vezes eu queria estar errada...
10 minutes to midnight.
Não sei se rezo p'ras férias acabarem logo ou pra elas durarem a vida inteira: estou indecisa sobre de que forma eu quero enlouquecer!
Tô prestes a fazer uma besteira universitária por causa de uma amigo com poderes, e pareço não estar nem aí pra tsunami que vem se aproximando. Acho que vou correr pra loja mais próxima e comprar umas bóias...
"Feche os olhos e finja que é tudo um pesadelo. É assim que eu me salvo!" Repeti isso até me convencer, e não me convenci. Então acho que vou continuar repetindo...
3 minutes to midnight.
Cansaço, miolos fervendo, insônia, espera...
Midnight.

2 comentários:

Dona do Caos disse...

tb me pergunto como quero enlouquecer...
veja pelo lado positivo, vc tá pensando em fazer besteira, eu ja fiz a muito tempo né? risos

Guel disse...

Vc ñ queria me mostrar esse texto, mas eu acabei lendo. Falei por falar... Sempre soube q vc ñ iria conseguir desvincilhar sua vida pessoal dos seus textos (e qm consegue?). Deve ser por isso q eles ficam tão bonitos e profundos.
Ñ sei pq a nóia de ter mudado. Acho q a sua mudança foi pra melhor. Agora tá mais forte para suportar os impactos q a vida ainda lhe causará.
Porém, msm forte, vc continuará sendo a nossa amiga FOFINHA... rsrsrs =P
... e q nós tanto amamos!

Bju!